Produção em Saúde

O conceito de produção em Saúde deve ser cautelosamente usado, devidamente enquadrado e especialmente por quem sabe o que está a falar devido às muitas especificidades do sector , que torna praticamente impossível a alguém que não um profissional de saúde, interpretar devidamente os variados termos e conceitos associados…

Ignorância é o que mais grassa por aí convém dizê-lo…

 Nem sempre produzir mais é sinónimo de melhores cuidados. A eficiência (fazer bem as coisas) e a eficácia(fazer as coisas certas) raramente se confundem nesta área.

Ex: Uma miríade de cuidados podem ser prestados a um determinado utente no entanto estas múltiplas intervenções podem ser todas apropriadas (eficientes) mas não serem as mais eficazes (as ideais para uma intervenção ).
 Vejamos um caso simples. O sr António é um hipertenso não controlado e entretanto teve um EAM (Enfarte Agudo do Miocárdio) e desenvolveu Insuficiência Cardíaca. Fez uma intervenção coronária percutânea e passou a tomar um IECA, um beta bloqueante, AAS, Clopidogrel, Estatina e um inibidor da bomba de protões… Aparentemente tudo bate certo não? Errado!
O sr António tinha HTA não controlada apesar de ir ocasionalmente ao médico de família que já lhe tinha prescrito uma tiazida. Nada mais foi feito. Não fez nenhuma avaliação de risco cardiovascular, não foi acompanhado para adoptar hábitos de vida saudáveis incluindo alimentação, exercício, controlo de factores de risco, alerta para eventuais sinais e sintomas de doença cardiovascular, entre outras medidas de promoção de saúde e prevenção primária e secundária assim como melhor gestão do seu regime terapêutico.
Um processo que teria tudo para ser praticamente autogerido numa fase intermédia (após acompanhamento rigoroso inicial) deu lugar  a mais um doente crónico e elevado custo para o próprio e para o Sistema de Saúde.

Porquê? Porque os processos de entendimento do que é produção partem de argumentos falaciosos e negligência naquilo que é entendido como não uso da melhor informação científica disponível. Se assim fosse entender-se-ia que produção é obter manutenção de saúde e progressão da doença evitável ou menor uso de actos invasivos e menor medicalização e não o paradigma actual de actos + actos + actos…

O que faltou aqui?
Enfoque na actividade não médica e definição não inquinada por conceitos mercantilistas(paradigma actual do pensamento dos gestores da saúde não profissionais de saúde) do que é produção pois em Saúde Mais produção é: melhor produção e menor produção( da actual) senão multiplicam-se actos redundantes, desnecessários e condenamos os Sistemas de Saúde ao seu Fim (espero não ter abusado da Escatologia)…

Definamos melhor o que é eficiência e eficácia em Saúde…

Anúncios

Sem censura... mas sem ilegalidade e acima de tudo com o sentido de responsabilidade. Opiniões contrárias não são só aceitáveis... são desejáveis... mas for favor identifique-se, nem que seja com pseudónimo

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s