As peneiras

Quem se arroga do facto de possuir habilitações para, sem efectivamente se obter qualquer fruto de, para exigir tratamento diferenciado e usar peneiras que só ofuscam o suor de quem efectivamente põe as coisas a funcionar?

Que valor damos ao nosso trabalho e à sustentabilidade do nosso modo de vida?

Quantos postos de trabalho nas instituições portuguesas ( de saúde) poderiam ser eliminados se não existissem 10 camadas de chefias da base até ao topo?

Quanta sobreposição de funções existe nesses mesmos cargos?

Porque é que ninguém verifica quem faz o mesmo trabalho e porque preço e se elimina quem se faz pagar mais caro com prejuízo para todos?

Quando é que se implementa uma avaliação das necessidade básicas da população em cuidados de saúde e se chega à conclusão de quantos trabalhadores efectivos são necessários?
 Qual é a “normal de produtividade” dum trabalhador?
Qual deveria ser, com base em estudos de intervenção/tempo associado a, a relação normal de produção esperada/número de profissionais?

Não se sabe já isto?

É necessário que surja uma revolução violenta popular para ganharmos vergonha na cara?

Anúncios

Sem censura... mas sem ilegalidade e acima de tudo com o sentido de responsabilidade. Opiniões contrárias não são só aceitáveis... são desejáveis... mas for favor identifique-se, nem que seja com pseudónimo

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s