Teorias de Enfermagem

Independentemente da definição de enfermagem que interiorizemos, usemos ou pensemos…
Independentemente de tentarmos definir qual a evolução que a enfermagem deve seguir: aproximação à medicina ou caminho independente…

Independentemente do(a) autora que mais simpatizemos: Se Meleis e as transições, se Virginia Henderson e as necessidade humanas básicas, se outra(o) qualquer…

Temos de concentrar-nos é no que resulta a aplicação de qualquer modelo/teoria e qual tem servido melhor os interesses dos enfermeiros e por conseguinte o da população em geral… Temos de perder menos tempo em definir Enfermagem e mais e aplicá-la…

Enquanto debatemos o que é e não é enfermagem não deveríamos antes aplicar o conhecimento dos enfermeiros?

Qual a ideologia que resiste sem os seus ideólogos/produtos da sua ideologia (os enfermeiros)?

Não deveria ser enfermagem tudo aquilo que o enfermeiro faz?

Manter esta luta autofágica que é restringir a actuação dos enfermeiros à definição de cada escola de pensamento é perpetuar a incerteza e insegurança, a indefinição identitária dos próprios e promover a sua extinção ao permitir a assumpção de outros profissionais mais pragmáticos e menos sujeitos a tais amarras  do pensamento.

Sejamos mais práticos e menos filósofos senão corremos o risco de enfermagem ser futuramente um termo apenas estudado na história das profissões e uma simples corrente do pensamento.

Sinceramente gostaria de ver-nos mais empenhados em grupos de discussão de apoio a reformas dos cuidados de saúde debatendo soluções e menos preocupados especificamente com o papel dos enfermeiros.
Tal propicia acusações de umbiguismo, corporativismo e sindicalismo desadequado…

Com isto não defendo o abandono da nossa identidade mas apenas que o facto de nos envolvermos leva a que o nosso papel não seja futuramente questionado e a nossa utilidade seja demonstrada pelas nossas acções e ideias e não pelas nossas reinvindicações.

Por ex: Falar apenas de carreira e amuarmos em relação a tudo o mais só levará a que seja mais difícil ambicionar a mais… A discussão da carreira não pode ser um fim nem um meio mas apenas uma necessidade. Esta não deve hipotecar todo o trabalho circundante que permitirá que ela seja uma necessidade, que para os enfermeiros, quer para o país.

Anúncios

Sem censura... mas sem ilegalidade e acima de tudo com o sentido de responsabilidade. Opiniões contrárias não são só aceitáveis... são desejáveis... mas for favor identifique-se, nem que seja com pseudónimo

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s