Humanização dos serviços de saúde

O que é humanizar os serviços de saúde? Que vantagens podem daí ser obtidas?

A qualidade em saúde é um assunto muito vasto mas de difícil definição daí surgirem várias perspectivas de avaliação da mesma.A humanização surge no contexto da abordagem centrado no utilizador/utente dos serviços.
Sendo que a definição de qualidade em saúde é sempre insuficiente opta-se rotineiramente por discriminá-la em diversas dimensões sendo uma das quais:

Cuidados centrados no doente: é a dimensão da qualidade que garante que as decisões relacionadas com a prestação e organização de cuidados têm como principal critério o interesse dos doentes, as suas expectativas, preferências e valores“(Campos et al, 2009) Retirado da proposta para o PNS 2011-2016

No fundo é o “cuidar” que tantas vezes utilizamos na nossa prática diária de enfermeiros.

Mas especificamente em que consiste isso do humanizar?
O Picker Institute Europe, após vários anos de investigação sobre as necessidades, expectativas e experiências dos cidadãos em saúde, identificaram oito dimensões fundamentais para uma abordagem centrada no utilizador/ doente (Ramos et al, 2010)

1) rapidez no acesso aos cuidados de saúde;


2) garantia de cuidados de qualidade;


3) participação nas decisões e respeito pelas suas preferências;


4) informação clara, compreensível e apoio à autonomia;


5) amenidades;


6) apoio emocional, empatia e respeito;


7) envolvimento de familiares e cuidadores; e


8) continuidade de cuidados.

Porquê especificar?
Para que cada problema possa ter uma abordagem específica mas com um resultado global maior.

A intenção é tornar a humanização dos serviços um verdadeiro indicador de desempenho dos serviços…

Mas porquê tanta ênfase nisto, se os utentes sempre serviram os profissionais e não o contrário como deveria ser?

É que a humanização dos serviços corresponde a uma maior satisfação dos utentes e um utente mais satisfeito :
– Cumpre melhor as indicações terapêuticas.
– Usa menos recursos de saúde
– tem maior confiança no sistema de saúde;

– tem maior predisposição para a condescendência de erros;
– tem maior tolerância à espera;
– tem maior tolerância a  risco;
– pode eventualmente ter diminuição do número de complicações e do desconforto como resultado de uma menor preocupação
E como resultado disto a opinião dos utentes serve para avaliar a verdadeira missão do sistema de saúde e se este efectivamente funciona.

Reflexão: Multiplicam-se estudos sobre enpowerment, humanização dos serviços, até já se usa a famosa visão holística e a perspectiva biopsicossocial… Mas não se ouve falar dos enfermeiros… Será porque se tenta incutir isso em todas as outras classes que não a cumprem à excepção da nossa (falando sempre duma forma global)… Não nos seria devido o crédito que merecemos?

Acho que é hora de recolhermos os louros dos longos anos que temos incutido humanização nos nossos serviços e apropriarmo-nos da propriedade intelectual da palavra… É que ao ler os diferentes estudos parece que até nem somos nós que a realmente e sempre praticamos.

E acima de tudo operacionalizarmos planos de humanização: não abordar tanto as teorias do cuidar e tal mas especificar o que é humanizar: ora melhorar alimentação; adequação da informação; integração da família, etc etc mas através de estudos quantitativos, planos de avaliação de qualidade e quantificar económica e financeiramente o impacto de cada intervenção…

Para que humanizar não signifique ser bonzinho e antes um profissional competente (atento às necessidades dos utentes) que obtém ganhos em saúde quantificáveis expressos através de determinada acção.

Anúncios

2 thoughts on “Humanização dos serviços de saúde

  1. Obrigado pelo comentário Graça e agradeço o elogio pelo blogue… O facto de fazer um comentário é o melhor elogio que poderia fazer.De qualquer forma aproveitaria para perguntar: têm plano de operacionalizar as várias iniciativas de humanização?São avaliadas? Quanto ao seu impacto? Quanto ao seu custo?Que medidas tomaram para "aumentar" a humanização dos vossos serviços?

  2. Bom dia, Antes de mais parabéns pelo o blog.. não podia de deixar de comentar este post visto que eu trabalho em Madrid e num centro sanitário que tem um centro de humanização da saúde com intensa formação a nível nacional e internacional. para mim a humanização é a base dos cuidados, e tem de ser praticada por toda a equipa multidisciplinar. agora temos um problema será que em Portugal trabalhamos verdadeiramente em equipa?? há comunicação? eu penso que ainda temos que trabalhar muito este conceito.compreendo também outra questão os enfermeiros portugueses estão desmotivados (salário, falta de reconhecimento…)e eu penso que um dos problemas da não humanização começa por aqui, acho que só poderá solucionar este tema as instituições. não digo em termos monetários, mas de implementar medidas que visam o reconhecimento do profissional de Enfermagem e assim aumentar a auto-estima.Quanto a formação "humanizar", já a temos precisamos de recorda-la e pratica-la, não só os enfermeiros mas todos.

Sem censura... mas sem ilegalidade e acima de tudo com o sentido de responsabilidade. Opiniões contrárias não são só aceitáveis... são desejáveis... mas for favor identifique-se, nem que seja com pseudónimo

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s