Enfermeiros professores ou professores de Enfermagem?

Numa profissão em que quem exerce não fixa os ditames da sua actividade é uma profissão desfasada da realidade.

Numa actividade profissional em que quem a exerce não está imbuído do espírito de partilha de conhecimentos é uma actividade estática e pronta a cometer sempre os mesmos erros.


Numa realidade que é actualmente agreste e propícia a provocar fissuras irreparáveis na identidade da profissão assim como no seu potencial de crescimento social e científico é necessário consolidar a formação pré e pós graduada da profissão.

Mais do que debater questões relacionadas com emprego (uma obsessão que “seca” todas as outras problemáticas) ou outras medidas conjunturais (não podemos esquecer que apesar do desemprego ser de facto uma preocupação real… existem outros 40000 e tal enfermeiros que não têm esta como principal preocupação) é importante definir como estruturar a base da profissão: a sua formação e a forma como esta é produzida e transmitida.

Como disse acima, importa apostar na formação e na actualização constante da profissão mas como fazê-lo se a profissão está claramente segmentada entre os que ensinam enfermagem e os que praticam?

Simplesmente não dá!

Quem lecciona desenvolve investigação não tendo em vista contexto de aplicação prática e simplesmente esta não é adoptada nem propagada por quem aplica a enfermagem.

Quem aplica a enfermagem não se interessa/não sabe investigar e o benchmarking em Portugal, na área da Enfermagem é pouco mais que irrisória pelo que se mantém a mesma prática desde há muitos anos. As alterações são pontuais e locais, normalmente importadas/impostas pela estrutura da instituição ou de outras classes profissionais…

Ou seja… Outros determinam a nossa forma de actuação.

Como mudar? 


Simples: Não pode haver desfasamento entre quem ensina e quem aplica a enfermagem e tal só se consegue se não se separarem os dois mundos… 

Não pode haver profissionais de enfermagem só ligados ao ensino!
Tem de existir uma estrutura de benchmarking eficiente!
Não pode haver profissionais somente dedicados à prática de cuidados sem investimento algum em investigação adequada.
Tem de existir gosto pelo conhecimento!
Temos de ser nós a ditar os princípios da nossa prática!

Anúncios

2 thoughts on “Enfermeiros professores ou professores de Enfermagem?

Sem censura... mas sem ilegalidade e acima de tudo com o sentido de responsabilidade. Opiniões contrárias não são só aceitáveis... são desejáveis... mas for favor identifique-se, nem que seja com pseudónimo

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s