Uso inadequado dos serviços de saúde

No seguimento desta “declaração de intenções” link da Ministra da Saúde (Dra Ana Jorge) e continuação do post anterior:

Tudo o que diz respeito a esta temática está impregnado de hipocrisia e demagogia de parte a parte, quer dos utentes quer do sistema (profissionais e sistemas de gestão).

Como vai saber um utente o que é urgente e o que não é urgente?
Em 1º lugar as pessoas não recebem aulas de educação para a Saúde portanto como poderiam saber sequer a que serviços e em que situações devem recorrer.

Para os que sabem que não é urgente, qual o incentivo para que não recorram, por exemplo ao serviço de Urgência?

Porque recorrem os utentes ao serviço de Urgência(Motivos eventualmente modificáveis)? 
 Não lhes é negado a realização de MCDT, independentemente da sua situação ser não urgente, e aqui a culpa é dos profissionais(directamente) porque mesmo tendo avaliado a situação como não urgente pediram os exames.
Os MCDT’s são realizados num espaço temporal muito curto face ao que aconteceria se recorressem ao CS ou USF.
Têm acesso a várias especialidades médicas que virtualmente não existem (para o bolso comum) fora do Hospital.
Têm acesso a médicos em tempo útil…
Portanto quem é que no seu perfeito juízo não recorreria a uma Urgência ?

Dos profissionais. Qual é o profissional de saúde que em caso de doença, súbita ou nem por isso, não recorre ao SU se tiver hipótese? Como podemos pedir aos utentes aquilo que não fazemos?

Do sistema… se um episódio de Urgência num Hospital Central é pago a 147 euros, independentemente dos MCDT’s realizados, não são precisamente os utentes menos graves (aqueles que menos recursos consumem individualmente) os que mais interessam? E quando consomem, os poucos que pagam (ver lista de isenções), têm acesso a algo que é tudo menos gratuito e levam com uma taxa moderadora que também deveriam ser isentos tal como todos os outros cidadãos.

Quem são os utentes que mais utilizam os serviços de saúde? São precisamente os que não pagam nem podem pagar.

Solução?
Muitas e nenhuma:
Cidadania saudável, incentivo ao não consumo de cuidados de saúde, Educação para a Saúde desde tenra idade…  (Promoção de autocuidado)
Incentivo negativo à referenciação inadequada para os SU (da parte de profissionais de saúde)
Triagem prévia (através da Saúde 24 e 112 e CSP)  com carácter de obrigatoriedade, de todas as idas à Urgência.
Acabar com a dependência do SNS e dos utentes dos médicos
E acima de tudo… aproveitando a visão de outros profissionais e de outras perspectivas: saúde centrada na pessoa e não no sistema e no apoio ao médico

PorqueThe upstream metaphor goes like this: People are drowning in a river. Rescue workers are pulling them out but soon realize that no matter how hard they work, there are always more people floating
downstream. Public health advocates decide to take a walk upstream, to see why people are falling into the river in the first place.link

Anúncios

Sem censura... mas sem ilegalidade e acima de tudo com o sentido de responsabilidade. Opiniões contrárias não são só aceitáveis... são desejáveis... mas for favor identifique-se, nem que seja com pseudónimo

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s