O problema é … a desconfiança!



Fruto de algumas leituras, nomeadamente deste blogue (Portugal Contemporâneo e as suas reflexões sobre a cultura dos países do Sul da Europa), cada vez mais me convenço (pode ser cedo para me convencer do que quer que seja dada a minha tenra idade) que os Portugueses são extremamente desconfiados uns dos outros, mesmo não o referindo explicitamente assim agem.

Vejamos na saúde: 
Os enfermeiros 
Desconfiam que tudo é feito para atacá-los e que nada do que façam vale a pena pois vão aproveitar-se do seu trabalho e outros lucrarão que não eles. Desconfiam dos doentes e que estes não os reconhecem nem nunca vão reconhecer como profissionais competentes.
Desconfiam dos médicos porque julgam que estes apenas querem dinheiro, trabalhar menos e ficar com os louros do seu trabalho
Desconfiam da gestores porque acham que não fazem nada, só os querem escravizar e não percebem nada de saúde.
Desconfiam de toda a gente porque julgam que ou os querem oprimir ou lhes retirar competências.
Os médicos 
Desconfiam que os gestores os querem impedir de gastar dinheiro e não propriamente moderar e equilibrar o acesso aos cuidados de saúde de forma equitativa.
Desconfiam que estes não percebem nada de saúde e que são apenas “boys”.
Desconfiam dos enfermeiros porque julgam que estes ainda são os mesmos de há 50 anos (quando ainda havia auxiliares de enfermagem) e que portanto não percebem nada disto.
Desconfiam dos utentes porque acham que estes não têm nada que saber do assunto que eles estudaram e acima de tudo desconfiam que tudo o que não for controlado por eles… não existe…
Os gestores 
Desconfiam da inteligência dos políticos e portanto fazem o que estes pedirem e não o que é correcto.
Desconfiam que os enfermeiros querem saber de mais.
Desconfiam que os médicos estão lá é para fazerem o que eles mandam.
Desconfiam que não percebem nada do assunto mas não o podem admitir.
Desconfiam que os doentes não deviam existir porque só dão despesa.
Os políticos 
Desconfiam que os outros todos desconfiam deles e portanto não há nada a fazer, preso por ter cão preso por não ter, mais vale aproveitar-se do facto enquanto podem…
Desconfiam que os enfermeiros têm mais do que fazer do que pensar.
Desconfiam que os médicos têm mais do que fazer do que trabalhar
Desconfiam que os gestores têm mais do que fazer do que armarem-se em políticos e se estes forem bons há que seduzi-los para a “causa”.
Os utentes 
Desconfiam que tudo o que lhes fazem a nível de condicionamento no acesso aos cuidados de saúde é por questões economicistas ( e toda a carga pejorativa associada ao termo), nem imaginando que é para protegê-los deles mesmos e de eventuais abusos.
Desconfiam que os enfermeiros só querem mandar neles e o que não seja o médico a mandar fazer é porque está mal.
Desconfiam que os médicos não fazem nada mas desconfiam também que se disserem alguma coisa ainda os tratam mal.
Desconfiam que é tudo uma grande aldrabice e que isto está tudo tão mal, mas tão mal, que vão andar cá 90 anos a dizer o mesmo (lol). 
Desconfiam que está tudo muito pior e que devia ser tudo gratuito na saúde, que os profissionais devem trabalhar por amor à camisola e desconfiam que se alguém ganha mais do que eles é um roubo.
No fundo desconfiamos de tudo e mais alguma coisa porque comunicamos pouco eficazmente, uns com os outros. Há pouca honestidade nas relações de trabalho em Portugal e quando julgamos estar a ser honestos, estamos apenas a ser “desbocados”. Muitas das vezes falhamos em algo muito importante em relações humanas… colocar-nos no lugar do outro… seja ele quem seja, seja o enfermeiro, médico, auxiliar, técnico, gestor ou político… Era bem mais fácil compreender o mundo se perdêssemos 10 minutos em pensar no que o outro possa sentir ou pensar… e talvez assim desconfiássemos menos e confiássemos mais…

Quantas actividades falham porque desconfiamos que não vai servir de nada e nem nos damos ao trabalho de tentar? Quantas propostas criticamos sem apresentar melhores opiniões porque desconfiamos patologicamente de quem as apresenta?

Já viram o que os Portugueses teriam a ganhar se confiassem mais uns nos outros e neles mesmos? 

PS: como todas as generalizações são erradas e este é um post satírico… espero que os leitores assim o entendam
Anúncios

One thought on “O problema é … a desconfiança!

  1. Bem verdade. Muito estranho…nao desconfio tanto quandro trabalho no estrangeiro. Porque quando estou em pt no trabalho desconfio muito??? A minha interpretacao e que aqui as pessoas sao mto pouco claras. Ha muita hierarquia, muita inseguranca, muitas lutas de poder, muita necessidade de imagem…

Sem censura... mas sem ilegalidade e acima de tudo com o sentido de responsabilidade. Opiniões contrárias não são só aceitáveis... são desejáveis... mas for favor identifique-se, nem que seja com pseudónimo

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s