A média…

Estas notícias sobre o estudo que o Governo comunista ( já querem “nacionalizar os depósitos de poupança e tudo ) encomendou e que a TVI assim como outros media fizeram o favor de fazer spin (com que intuito?).

Enfermeiros ganham mais no público que no privado

Os meus 1020 euros de vencimento mensal num regime de 40 horas semanais… espero que não estraguem as “médias” que obtiveram…

Se eu ganho 1000 e fulano ganha 200.000… em média ganhamos 100.500:  Classes Profissionais que ganham em média, mais de 100500 euros passam a ganhar menos 50% do salário por via de impostos.

Se eu trabalho 10 horas e fulano trabalha 70… em média trabalhamos 40 horas: Grupos de trabalhadores que tenham um horário médio inferior a 41 horas vão passar a trabalhar mais 5 horas semanais

Se eu trabalhei 10 anos e fulano  40… em média trabalhamos 25 anos… Ao fim de 25 anos vamos receber a reforma na mesma medida 
Se eu “produzo” 1000 e fulano 10000… em média produzimos 5500…  Se na empresa X se produz em média 5500 os funcionários vão todos receber o mesmo “incentivo”

Se desde 2003 que trabalho para uma instituição empresarial do Estado, uma vez rejo-me pelas regras do “Estado”: nos cortes e pelas do “Privado” na ausência de regalias associadas ao funcionalismo público… que é que eu sou?

Eu nunca fui aumentado desde 2003 mas sou do Estado… mas alguém doutro sector do Estado foi aumentado 20%… em média fomos aumentados 10% ??????

Dito isto… 
Não existe A Função Pública… Não existe o Sector Privado…

Dentro daquilo que se considera “função pública” existem pessoas com contratos individuais de trabalho, verdadeiros funcionários públicos, recibos verde, etc etc. Existem vários sectores ( Saúde, Justiça, Educação, Segurança, etc etc). Com e sem concorrência. Com e sem avaliação de desempenho. Com falta de pessoal, com excesso de pessoal. A ganhar muito , a ganhar pouco. A faltar muito… a faltar pouco.

Dentro do sector privado… Há quem pague muito, há quem pague pouco.
Há quem respeite mais o direito laboral do que o Estado e há quem faça o seu contrário.
Há quem viva encostado às rendas e subsídios do Estado e há quem seja verdadeiramente um “privado” clássico.
Há quem fuja aos impostos e há quem pague mais do que as próprias instituições do Estado…

Generalizar é gerar preconceitos e conclusões injustas e das quais não se obterão quaisquer propostas viáveis para a Mudança… Que se espera que seja algo o mais aproximado possível do reflexo da criação de Valor do profissional em relação com o rendimento, partindo da situação de partida o mais justa possível.

É preciso perceber que só individualizando e gerando verdadeiros critérios de igualdade à partida, para que as oportunidades e a justiça seja realmente cega…

Toda a gente sabe que existem muitos maus exemplos em todas as áreas da vida e da sociedade mas quando se aplica uma medida igual para todos o sinal que se envia é… não importa o que faças porque por melhor que possas ser serás tratado igual ao pior de todos…

Para quê esforçares-te?

Anúncios

2 thoughts on “A média…

Sem censura... mas sem ilegalidade e acima de tudo com o sentido de responsabilidade. Opiniões contrárias não são só aceitáveis... são desejáveis... mas for favor identifique-se, nem que seja com pseudónimo

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s